Canção do Cigano

Canção do Cigano

Voice:  Alberto Ribeiro

Canção do Cigano

P´la raia de Espanha
Nas sombras da noite
Passava um cigano
No seu alazão

O vento brandia
Seu nórdico açoite
E as folhas rangiam
Caídas no chão

E já embrenhado
No Alto Alentejo
Nas sombras da noite,
Tingidas de breu

Nem mais uma praga,
Nem mais um desejo
Aos ecos distantes,
O pobre gemeu

Não há maior desengano
Nem vida que dê mais pena
Do que a vida de um cigano

Atravessar a fronteira
Para ser atravessado
Por uma bala certeira

E tudo porque o destino
Só fez dele um peregrino
Companheiro do luar
Um pobre judeu errante
Que não tem pátria
Nem lar

E o contrabandista
Temido e valente
Voltava de Espanha
No seu alazão

Um tiro certeiro
Um braço dormente
E um rasto de sangue
Marcado no chão

E já embrenhado
No Alto Alentejo
Nas sombras da noite
Tingidas de breu

Nem mais uma praga
Nem mais um desejo
Aos ecos distantes
O pobre gemeu….

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *